⚡ Curiosidades, celebs, séries, músicas, cinema e muito mais!

+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

Lula relança Minha Casa, Minha Vida como aposta para reaquecer economia 13

Lula relança Minha Casa, Minha Vida como aposta para reaquecer economia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) relança, às 16h desta terça-feira (14/2), em Santo Amaro, na Bahia, o Minha Casa, Minha Vida (MCMV), programa habitacional criado nas gestões petistas e substituído pelo Casa Verde e Amarela no governo Jair Bolsonaro (PL).

A retomada do Minha Casa, Minha Vida nos moldes configurados nos governos do PT foi uma promessa de campanha de Lula. O Planalto aposta nas obras de infraestrutura para reaquecer o mercado de trabalho e a economia.

Uma das novidades é a reformulação da Faixa 1, agora destinada a famílias com renda bruta de até R$ 2.640. Nos últimos quatro anos, a população com essa faixa de renda foi excluída do programa. Agora, a ideia é de que até 50% das unidades financiadas e subsidiadas sejam destinadas a esse público. Vale lembrar que no primeiro Minha Casa, Minha Vida a Faixa 1 atendia famílias com renda bruta de até R$ 1,8 mil mensais.

Oficialmente, a Presidência da República diz que o programa é “um importante instrumento não só para reduzir o déficit habitacional brasileiro, principalmente nas faixas de menor renda, mas também contribui para o crescimento da economia e é fundamental para a geração de empregos”. No entanto, há dúvidas sobre a capacidade do MCMV de cumprir esse objetivo e o receio de que o relançamento do programa se configure em apenas mais uma estratégia de marketing.

“Do ponto de vista de retorno, acredito que ajudará a reduzir o déficit habitacional. Será bom para estimular a economia, sobretudo em algumas regiões mais pobres, gerando emprego”, avalia Thiago Queiroz, diretor da Consillium Soluções Institucionais e Governamentais. Queiroz salienta que o impacto maior será nas moradias mais humildes.

“Para aquelas moradias de prédios, que têm um custo maior, isso teria pouco efeito, pelo menos de curto prazo, por conta dos níveis da taxa Selic, que acaba dificultando o acesso ao crédito e financiamento. Só aqueles financiamentos subsidiados pelo programa, esse Faixa 1”, prossegue o analista.

Compartilhe essa notícia ✈️
0
Compartilhar
URL compartilhável
👀 Talvez você queira saber
0
Compartilhar