in

ForçaForça

Pelo menos 146 pessoas morrem em festa de Halloween na Coreia do Sul

Uma comemoração de Halloween nas ruas de Seul, na Coreia do Sul, terminou com pelo menos 120 pessoas mortas no sábado (29).

De acordo com os primeiros relatos, as vítimas tiveram paradas cardíacas e dificuldades respiratórias. Além dos mortos, há cerca de 100 feridos (alguns deles podem morrer, disse Choi Seong-beom, chefe dos bombeiros do distrito de Yongsan).

Até a última atualização desta reportagem, as autoridades locais não haviam descoberto o que gerou o incidente.

Uma das suspeitas iniciais é que as vítimas morreram esmagadas depois que uma multidão se aglomerou em uma via estreita.

Nas redes sociais e em agências de notícias, imagens do popular distrito de Itaewon mostram corpos no chão, cobertos por sacos (veja abaixo), e socorristas afastando uma multidão que tentava se aproximar.

Pessoas são socorridas em Seul — Foto: Lee Jin-man/AP
Bombeiros e policiais cercam corpos cobertos por sacos em Seul — Foto: Jung Yeon-je/AFP
Corpos cobertos são vistos no popular bairro noturno de Itaewon, em Seul — Foto: Yelim Lee/AFP

Segundo a Reuters, às 23h30 (horário local, 11h30 no fuso de Brasília), dezenas de vítimas estavam recebendo ressuscitação cardiopulmonar (conjunto de manobras para garantir a oxigenação dos órgãos).

O presidente Yoon Suk-yeol ordenou o envio de uma equipe médica de emergência para a área e disse que os leitos hospitalares devem estar prontos para tratar os doentes.

De acordo com a BBC, na ocasião, 100 mil pessoas celebravam o Dia das Bruxas na primeira grande comemoração sem máscaras desde o início da pandemia de Covid-19.

O bairro de Itaewon tem muitos restaurantes e bares e é popular entre os estrangeiros em Seul. De acordo com o “Washington Post”, há cerca de 10 anos que as maiores festas de Halloween da cidade acontecem lá.

Essa é a pior tragédia na Coreia do Sul desde 2014, quando uma balsa afundou e mais de 300 pessoas morreram.

Ainda não há explicação para as mortes — Foto: Jung Yeon-Je/AFP

Policiais e paramédicos socorrem dezenas de pessoas que sofreram parada cardíaca, no popular bairro noturno de Itaewon, em Seul — Foto: Jung Yeon-Je/AFP