⚡ Curiosidades, celebs, séries, músicas, cinema e muito mais!

+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

Jogador do Irã é condenado a ser enforcado em praça pública por defender o direito das mulheres 15

Jogador do Irã é condenado a ser enforcado em praça pública por defender o direito das mulheres

O jogador Amir Nasr-Azadani, de 26 anos  que jogou em alguns dos principais clubes de futebol do Irã, caba de ser condenado à morte por “traição”, após participar de protestos contra o governo do país. Ele, que é lateral-direito será enforcado em praça pública. De acordo com a Iranwire, justiça daquele país, o jogador ‘pagará o preço’. Isso já tinha acontecido com a execução de um lutador.

Em uma nota de repúdio, a Fifpro (Federação Internacional de Jogadores Profissionais) escreve que está “triste e chocada” com a notícia. “A Fifpro está chocado e indignado com relatos de que o jogador de futebol profissional Amir Nasr-Azadani enfrenta execução no Irã após fazer campanha pelos direitos das mulheres e liberdades fundamentais em seu país. Somos solidários com Amir e exigimos que sua sentença seja suspensa imediatamente.”, escreveram.

foto jogador irã

Atualmente, o Irã enfrenta protestos em todo o país que foram causados depois da morte de Mahsa Amini, de 22 anos, sob custódia policial em setembro. Mahsa, que tinha 22 anos, teria sido detido pela polícia por supostamente violar as estritas regras sobre coberturas para a cabeça.

Segundo a IranWire, o sistema judicial da República Islâmica planeja enforcar o jogador pela morte do coronel Esmaeil Cheraghi e dois membros do Basij (oficialmente Nirouye Moqavemate Basij), uma milícia paramilitar voluntária fundada por ordem de aiatolá Khomeini em novembro de 1979, após a Revolução Islâmica.

A Anistia Internacional também fez uma declaração a esse respeito: “A organização pediu à comunidade internacional que use todos os meios necessários para pressionar o governo iraniano a interromper as execuções e a pena de morte”, disse Diana Al-Tahavi, da Anistia.

Confira o post abaixo:

Compartilhe essa notícia ✈️
0
Compartilhar
URL compartilhável
👀 Talvez você queira saber
0
Compartilhar