in

Suposto golpe da marmita vira caso de polícia

O caso do suposto projeto social que entrega marmitas a moradores de rua virou caso de polícia nesta quarta-feira (28) em Blumenau. O delegado Felipe Orsi, da 1ª Delegacia de Polícia Civil da cidade, confirmou a abertura de um inquérito para apurar um possível golpe pelas redes sociais.

A história repercutiu no início desta semana, após usuários do Twitter desconfiarem de publicações da jovem Duda Poleza. Possíveis inconsistências em tuítes dela e de uma suposta colega de projeto, chamada “Taynara”, motivaram suspeitas sobre uma iniciativa intitulada “Alimentando Necessidades”.

De acordo com o delegado Felipe Orsi, ainda não há estimativa da quantidade de pessoas que possam ter sido lesadas. O investigador afirma que “o modus operandi do grupo consistia em pedir quantias em dinheiro, que seriam destinadas à compra de alimentos para pessoas necessitadas, mas com valores desviados para benefício próprio”.

— Ainda não temos a dimensão deste golpe, as informações ainda são bem preliminares — afirmou Orsi em entrevista à NSC.

Em nota, a Polícia Civil alerta para que pessoas busquem certificar veracidade de ações sociais que peçam doação de dinheiro e sugere que o doador sempre cheque se o projeto beneficiado tem CNPJ, sede própria e modos de prestação de contas dos serviços atendidos. 

No caso do projeto de Blumenau, a suspeito da polícia é de que os valores enviados por PIX não eram utilizados para compra de alimentos.

Caso também vai parar no Ministério Público

À NSC TV, o Ministério Público de Santa Catarina confirmou que duas denúncias foram recebidas pela ouvidoria do órgão no início desta semana. A 2ª Promotoria confirmou ao repórter Felipe Sales que irá instaurar um inquérito “para apurar possível estelionato”.

Contraponto

A reportagem tentou contato com Duda Poleza, autointitulada como líder do suposto projeto social, porém não obteve retorno até a publicação desta matéria. O espaço segue aberto para esclarecimentos.