in

Justiça do Rio concede liberdade condicional ao goleiro Bruno

A Justiça do Rio concedeu liberdade condicional ao goleiro Bruno Fernandes, que cumpria prisão domiciliar. A decisão foi assinada pela juíza Ana Paula Abreu Filgueiras, da Vara de Execuções Penais, na última quinta-feira (12).

O jogador foi condenado a 22 anos de prisão pela morte de Eliza Samúdio, em 2013. Ele deixou a prisão em 2019 e passou a morar na região dos lagos do Rio.

Na prática, a decisão libera Bruno de restrições de horário para chegar em casa, diferentemente do que ocorre na prisão domiciliar. A determinação estabelece ainda que ele compareça trimestralmente em uma sede da Justiça para manter dados e informações pessoais atualizadas.