in

Reporter de Sônia Abrão se defende após falar sobre tranças do PA: "Convivi com pretos"

O nome de Felipeh Campos viralizou nas redes sociais, na última segunda-feira (2/5), após uma comparação dos dreads de Paulo André com cadarços. O jornalista, que foi muito criticado e foi acusado de racismo, utilizou o seu espaço no A Tarde É Sua para se manifestar sobre o assunto.

“Gente eu só vou dizer uma coisa pra vocês: eu cheguei no candomblé aos oito anos de idade, isso faz exatos 40 anos, que é a minha religião até hoje. Se vocês não sabem, o candomblé é uma religião afrodescendente”, começou explicando Felipeh.

Logo na sequência, o jornalista relembrou de sua religião. “Ou seja, toda a minha infância, minha adolescência, eu sempre convivi com homens, com mulheres pretas, enfim. Eu nunca tive problema com xenofobia, com homofobia, com seja lá o que for, com qualquer tipo de minoria”, pontuou.

Para completar, Felipeh lembrou de partes sobre a sua fala. “E eu deixei muito claro aqui ontem que eu gostei do cabelo black, como ele vinha no Big Brother Brasil, e deixei isso muito claro. Eu jamais iria ter um ato racista ou fazer algo do gênero, nunca, nunca! Eu não gostei e acho que cabe a mim não gostar”, finalizou.