in

Renda média dos brasileiros chega ao pior nível desde o fim de 2012

A renda média dos trabalhadores recuou 4% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com os três meses anteriores. O valor chegou a R$ 2.459, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada nesta terça-feira (30/11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado é o menor rendimento médio real (descontada a inflação) desde o quarto trimestre de 2012, quando o valor atingiu R$ 2.451.

Trata-se da quarta queda seguida na comparação com o trimestre anterior, o que faz o valor chegar perto do menor nível da série histórica, iniciada em 2012.

Na comparação com o terceiro trimestre de 2020, a queda do rendimento do trabalhador foi ainda pior e reduziu 11,10%. Na época, a renda média era de R$ 2.766, o que significa um encolhimento de R$ 204, para os R$ 2.459.

A queda no rendimento dos brasileiros reflete a dispara da inflação, que passou de 10% no acumulado em 12 meses, e a retomada conturbada ao trabalho presencial com o avanço da vacinação em massa contra a Covid-19.

“Há um crescimento em ocupações com menores rendimentos e também há perda do poder de compra devido ao avanço da inflação”, avaliou a coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE, Adriana Beringuy.

No terceiro trimestre de 2021, a massa de rendimentos real habitualmente recebida por pessoas ocupadas foi de R$ 223,549 bilhões, o que significa uma queda de 0,1% em relação ao segundo trimestre (R$ 202 milhões a menos).