in

Pastor que desejou morte de Paulo Gustavo segue impune após 2 meses

A Justiça de Alagoas cozinha há mais de dois meses a denúncia do Ministério Público do estado contra o pastor que disse que rezaria pela morte do ator Paulo Gustavo, morto por complicações da Covid-19 em maio deste ano. O Ministério Público de Alagoas apresentou a denúncia no dia 8 de setembro.

Da Assembleia de Deus de Alagoas, o pastor José Olímpio fez um post, enquanto Paulo Gustavo ainda estava internado com o vírus, em que dizia estar “orando” pela morte do ator em “defesa do nome de Deus”.

Dias depois, Olímpio se desculpou publicamente, mas continuou alegando que estava tentando “defender a honra de Deus”.

O promotor de Justiça Lucas Sachsida, responsável pelo caso no MP de Alagoas, explicou que as declarações praticam, induzem e incitam a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. A denúncia pede uma pena de 3 anos de reclusão e o pagamento de multa.