in

O que Simone Tebet vai fazer no Governo Lula?

Lula e Simone Tebet acabam de acertar os ponteiros. A senadora do MDB aceitou convite para ser ministra do Planejamento no futuro governo, com a inclusão do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) na pasta.

O acordo finalmente foi selado após idas e vindas. No início, Simone Tebet pleiteou o comando do Ministério do Desenvolvimento, que, contudo, foi entregue por Lula ao petista Wellington Dias.

Depois disso, como antecipou a coluna na sexta-feira (23/12), o Ministério do Planejamento passou a ser a pasta mais provável para Tebet, mas ela resistiu a aceitar o convite. Avaliava que o ministério tinha “pouca ação política”. A emedebista chegou a flertar com o Meio Ambiente, mas Marina Silva bateu o pé e ficou com o comando da pasta.

Com a transferência do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) para o Planejamento, definida hoje, o ministério se tornou mais atrativo para Tebet.

Já o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, que chegaram a fazer parte das discussões, permanecerão sob o guarda-chuva do Ministério da Fazenda, que será chefiado por Fernando Haddad.

O que Simone Tebet vai fazer no Governo Lula?

O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, é um dos ministérios que também pertence ao poder executivo do Brasil e sua objetivo é planejar a melhor forma de administra o governo, planejar os custos, analisando a viabilidade de projetos, controlando também os orçamentos, tendo a propriedade de liberar fundos para os estados e projetos do governo.

História

O Ministério do Planejamento, foi criado em 1962, no governo de João Goulart, e foi fechado pouco mais de um ano após sua abertura, no dia 31 de março de 1964, pelo motivo de ter sido o único ministro deste período Celso Furtado, criou o programa denominado como Plano Trienal. E alguns meses depois de sua criação, foi reaberto, já no governo de Castello Branco, tem como seu primeiro ministro o então Roberto Campos e seu primeiro programa foi o Programa de Ação Econômica do Governo.

As áreas em que o Ministério do Planejamento é atuante é na participação na formulação do planejamento estratégico nacional, na avaliação dos impactos socioeconômicos das políticas e programas do Governo Federal e na elaboração de estudos especiais para a reformulação de políticas mal sucedidas, faz a realização de estudos e pesquisas para acompanhar o fator socioeconômico e a gestão de sistemas estatísticos do Estado.

Além disso, elabora e acompanha a avaliação de leis por iniciativa do Poder Executivo do Brasil, viabiliza novas fontes de recursos para os planos governamentais, coordena também a gestão de parcerias público-privadas, faz a formulação de diretrizes e coordena negociações, acompanhando e avaliando os financiamentos externos de projetos públicos com organismos multifuncionais, coordena o planejamento e o orçamento federal, de pessoa civil, de administração de recursos da informação e também da informática e serviços gerais, bem como a formulação de diretrizes, a modernização administrativa do Governo Federal, coordena critérios de governança corporativa e empresas estatais, e um dos principais a administração patrimonial, modernizando estas diretrizes.