⚡ Curiosidades, celebs, séries, músicas, cinema e muito mais!

+1 202 555 0180

Have a question, comment, or concern? Our dedicated team of experts is ready to hear and assist you. Reach us through our social media, phone, or live chat.

Mulher que acusa Monteiro de estupro foi contaminada pelo vírus HPV, diz MPRJ 13

Mulher que acusa Monteiro de estupro foi contaminada pelo vírus HPV, diz MPRJ

A vítima do estupro pelo qual o ex-vereador e ex-policial militar Gabriel Monteiro (PL) foi acusado e preso preventivamente nesta segunda-feira, 7, foi contaminada pelo vírus HPV. De acordo com o Ministério Público do Rio, um exame médico foi realizado e comprovou a infecção.

O crime teria ocorrido no dia 15 de julho, quando Gabriel e a moça se conheceram na boate Vittrini, na Barra da Tijuca (zona sul do Rio).

O ex-vereador já é acusado da prática de outros crimes sexuais, inclusive por filmar relações íntimas com uma menor e, por isso, foi cassado. Ele é acusado de assédio moral contra assessores e de forjar situações para produzir conteúdos em suas redes sociais. Monteiro responde a todos esses crimes na Justiça.

Neste novo episódio, ele e a vítima teriam trocado beijos em uma festa na boate da Tijuca e foram embora com uma amiga dela. Segundo relato da jovem, todos foram para a casa de um amigo do ex-vereador em Joá, bairro próximo de onde estavam.

Segundo divulgou a Promotoria, a amiga teria ficado aguardando na sala da casa, a pedido do ex-militar, que se trancou em um dos quartos com a vítima.

Quando percebeu que fora trancada no cômodo, a moça tentou sair. O ex-parlamentar, então, ‘retirou sua arma da cintura e passou no rosto da mulher, constrangendo-a com o objetivo de manter relações sexuais’.

A denúncia, apresentada à 34ª Vara Criminal da Capital, afirma que Gabriel Monteiro tentou ‘tirar a roupa da jovem à força e manteve com ela relações sexuais de forma violenta e sem o uso de preservativo, contrariando os pedidos da vítima’.

O ex-vereador teria dado tapas no rosto da mulher, segurando-a ‘firmemente pelos pulsos’, e chegou a ameaçá-la de espancamento, se continuasse resistindo às agressões.

No final da tarde desta segunda-feira, 7, Gabriel Monteiro publicou um vídeo em suas redes sociais dizendo que não fora chamado para depor na delegacia sobre a nova acusação, mas que ia se entregar ’em respeito à Justiça’.

Ele foi transferido para o presídio de Benfica, na zona norte da capital fluminense, nesta terça, 8.

“Fiquei sabendo pela minha advogada que foi decretada a minha prisão preventiva por um crime que eu não fui escutado (sic) na delegacia. Respeito as autoridades e por isso estou vindo aqui. Não fui conduzido pela polícia. Assim que fiquei sabendo, vim imediatamente me entregar para a Justiça porque acredito nela e sei que minha inocência vai ficar comprovada. Não só tecnicamente, mas também para todo o Brasil, de forma que fique incontestável qualquer acusação contra mim.”

Nas eleições deste ano, o ex-vereador tentou seu candidatar a deputado federal pelo PL, partido do presidente Jair Bolsonaro. Contudo, depois do Tribunal Regional Eleitoral do Rio indeferir o seu registro, ele desistiu de concorrer. O pai e a irmã de Monteiro se elegeram a deputado federal e estadual, respectivamente.

Compartilhe essa notícia ✈️
0
Compartilhar
URL compartilhável
👀 Talvez você queira saber
0
Compartilhar