in

MST garante 6 meses de produtos saudáveis à eleitora de Lula humilhada por bolsonarista

Integrantes da coordenação regional do Movimento Sem Terra (MST) localizaram Ilza Ramos Rodrigues, moradora de Itapeva, no interior de São Paulo, e estão levando uma cesta de produtos saudáveis, além de garantir alimentos para ela pelos próximos seis meses em uma demonstração de solidariedade após a mulher ser humilhada por um apoiador de Jair Bolsonaro (PL) que negou assistência após ela declarar o voto em Lula (PT).

A articulação do auxílio foi feito pelo ex-ministro e deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) em conversa com João Paulo Rodrigues, da direção nacional do MST.

“Já sabemos onde está essa mulher, estamos acolhendo, mantendo contato na cidade de Itapeva. Nós temos um trabalho muito próximo com a Cáritas, movimentos sociais e de solidariedade durante à pandemia, com a turma do MST que fica na região. Uma rede de solidariedade que vai apoiar e acolher essa senhora”, disse Padilha, que ressaltou que, “mais uma vez, fica claro que a rede bolsonarista não tem a melhor compaixão pelas pessoas”.

À Fórum, Rodrigues confirmou que o MST está se dirigindo neste domingo à casa de Ilza Ramos e que o movimento vai garantir que ela tenha comida no prato pelo menos pelos próximos seis meses.

Em nota, o MST de Itapeva afirma que “a ordem é ninguém passar fome”. “Está circulando na internet um  vídeo no qual uma senhora é humilhada por um bolsonarista por ter declarado seu voto em Lula. O MST da Regional Sudoeste (SP) se solidariza com todas as famílias que sofrem com a fome e, em especial com a Dona Ilza. Por isso, nos  propomos a doar alimentos da reforma agrária, produzidos pelas famílias assentadas. A ordem é ninguém passar fome. Progresso é o povo feliz!”, diz o texto enviado à Fórum junto com foto dos produtos levados à dona Ilza.

Humilhação

Ilza Ramos provocou uma onda de solidariedade nas redes após ser humilhada por um apoiador de Bolsonaro que filmou, com requintes de crueldade, o momento em que entrega uma cesta básica e diz que a mulher não receberia “mais marmita” por ela declarar que vota em Lula.

“Lula? Então tá bom aqui ó: ela é Lula. A partir de hoje não tem mais marmita”, diz o homem para espanto da mulher. “A partir de hoje é a última marmita que vem aqui. A senhora pede para o Lula agora. Está bom? É a última marmita que vem para a senhora”, diz – veja o vídeo.