in

MPF arquiva ação contra Bolsonaro no caso Guaraná Jesus

Em viagem ao Maranhão, o presidente da República comentou enquanto tomava o refrigerante: “Boiola, igual maranhense”

O Ministério Público Federal (MPF) arquivou a notícia de fato apresentada contra o presidente Bolsonaro (PL) após declarações homofóbicas e racistas durante visita ao Maranhão em 2020.

No dia 29 de outubro, em Bacabeira (MA), Bolsonaro comentou enquanto tomava Guaraná Jesus, de cor rosa, que teria virado “boiola igual maranhense”. “Olha o guaraná cor-de-rosa do Maranhão, ó. Quem toma esse guaraná aqui vira maranhense”, emendou.

No mesmo dia, Bolsonaro pediu desculpas após ter feito a piada preconceituosa. “Pessoal, fiz uma brincadeira. Se alguém se ofendeu, me desculpa aí, tá certo”, disse, via transmissão ao vivo em rede social.

A atitude, no entanto, levou deputados federais, distrital e ativistas a acionarem o MPF. Em novembro de 2020, o procurador federal dos Direitos do Cidadão, Carlos Alberto Vilhena, considerou que o presidente Jair Bolsonaro havia cometido crime de racismo no discurso.

Nesta segunda-feira (24/1), no entanto, o pedido foi arquivado. O procurador Aldo de Campos Costa, que assina a decisão, afirmou que “à luz das circunstâncias, conclui-se que as afirmações lançadas no expediente não consubstanciam ofensas discriminatórias de caráter negativo e, em virtude disso, não estão inseridas no conteúdo proibitivo da norma em questão”.