in

ForçaForça

Ken humano que virou pedreiro é demitido após dizer que é bissexual

Você provavelmente já ouviu falar no Ken humano, não é mesmo? Um homem que começou a passar por procedimentos estéticos diversos na tentativa de se tornar o mais perecido possível do boneco Ken, namorado da Barbie.

Acontece que não existe apenas um Ken humano. Felipe Máximo Dias de Oliveira, também conhecido como Felipe Adam ou ‘Mr. Adam’, é famoso como o Ken humano de Peruíbe (SP).

Aos 16 anos, ele começou a tentar se transformar no Ken humano, chegando até a participar de alguns programas de TV. Contudo, dois anos depois, ele anunciou que estava abandonando o sonho de ficar tão parecido com o boneco.

Felipe estava planejando realizar 42 procedimentos cirúrgicos para se parecer com o Ken. Até que, em 2022, ao completar 18 anos, deixou o desejo de lado.

Eu via problemas em mim que não existiam, não vejo necessidade de fazer nenhuma cirurgia agora. Me olhei no espelho e consegui me ver”, disse ele meses atrás ao portal ‘G1’.

Depois de desistir do objetivo de se parecer com o boneco Ken, Felipe Máximo conseguiu um emprego de auxiliar de pedreiro com um tio.

Contudo, segundo ele, após assumir sua bissexualidade nas redes sociais, ele foi demitido – e agora tem enfrentado dificuldades financeiras. “Começaram um tratamento diferente comigo e, passados alguns dias, me dispensaram”, relatou o jovem ao ‘G1’.

De acordo com Felipe, hoje ele só mantém contato com as irmãs. “Trabalhava com eles, mas, após eu falar abertamente sobre minha orientação sexual e, principalmente por eu não me dar bem com o sócio de trabalho dele [do tio], que é o marido da minha mãe, os dois decidiram me mandar embora”, contou Felipe em entrevista.

Através das redes sociais, o ex-Ken humano desabafou sobre os perrengues que tem passado. Ele disse que precisou deixar a casa em que vivia em Peruíbe, litoral de São Paulo, pois não estava conseguindo mais pagar o aluguel.

Diante dessa situação difícil, foi o namorado de Felipe que o recebeu em casa, no Centro de Peruíbe. Hoje ele faz bico em uma barraquinha na praia, mas as dificuldades financeiras são muitas. Felipe pediu até ajuda aos seguidores, que doaram alimentos para ele.

“Após eu falar abertamente nas minha redes sociais sobre minha orientação sexual, que sou bissexual, eu fui dispensado da obra onde trabalhava com meu tio e passei por dificuldades financeiras […]. Pedi aos meus seguidores ajuda com mantimentos, e [com as doações] supri as algumas necessidades”, contou o ex-Ken humano no Instagram.

Estou em busca de qualquer oportunidade de emprego para que eu tenha condições, novamente, de morar sozinho e poder correr atrás de meus objetivos”, acrescentou ele.

Confira a postagem de Felipe no Instagram:

https://www.instagram.com/p/CkeEWxFJcMR/

Depois de Felipe ter exposto a situação na web, o tio dele – o pedreiro Nadir Brito Oliveira – fez questão de se pronunciar negando que o jovem tenha sido demitido por ser bissexual.

Ele contou ao ‘G1’ que a família sempre soube da orientação sexual do jovem, e ele foi contratado mesmo assim. A demissão aconteceu graças à má relação de Felipe com o padrasto, que é sócio na obras.

“Eu não sei o que passou na cabeça dele de dizer que tivemos preconceito. Não é verdade. O que ele fez é muito errado. Se eu fosse preconceituoso, não tinha chamado ele para trabalhar comigo“, disse Nadir.

O padrasto, o pedreiro Gleison Freitas Silva, lamentou a postura do ex-Ken humano. Ele disse em entrevista que a família está triste com essa exposição toda. E que a mãe de Felipe se sentiu mal após o posicionamento dele nas redes sociais.

“Não tenho nada a ver com opção de vida dele. Não sou preconceituoso, não sou homofóbico. O negócio é que ele estava com problema comigo”, afirmou.

Ele acrescentou que nunca prejudicou Felipe no trabalho como pedreiro. O que ele está fazendo é nos caluniado. Tenho primos homossexuais, primas lésbicas e nunca tive problema com nenhum deles […]. Não sei por que esse menino fez isso, não sei se ficou chateado porque o mandamos embora e fez besteira”.