in

Harry disse "coisas desagradáveis" para a rainha Camilla, conta expert

No que depender da biógrafa real Angela Levin, o nome do príncipe Harry não sairá das manchetes tão cedo. Nesta sexta-feira (30/9), a escritora concedeu entrevista ao talk show britânico Lorraine para contar detalhes do livro sobre a rainha consorte, Camilla Parker. A publicação chegou às livrarias esta semana. Durante a participação televisiva, a autora fez algumas revelações bombásticas.

De acordo com a escritora, Harry “supostamente” maltratou a madrasta. “Decidi que de alguma forma, eu tinha de reequilibrar o contexto”, declarou Levin. Em seguida, ela alegou que o duque de Sussex “disse coisas muito desagradáveis” a respeito de Camilla. Na avaliação da autora, a rainha consorte enfrentou episódios turbulentos com a sogra, Elizabeth. “Eu achava ter sido muito cruel com ela”, garantiu.

Page Six tentou entrar em contato com os porta-vozes do príncipe Harry, mas não obtiveram sucesso. O portal estadunidense quis dar ao duque de Sussex um direito de resposta. A relação entre madrasta e enteado não é das melhores. No ano passado, ele e a esposa, Meghan Markle, deram uma entrevista para a apresentadora Oprah Winfrey. No bate-papo, confessaram que um integrante da realeza britânica fez um declaração racista sobre o primogênito do casal.

Tempos depois, o biógrafo real Tom Bower revelou que a afirmação racista veio da rainha consorte. “De acordo com Harry, alguém especulou sobre como seu futuro filho seria. Em uma versão, Camilla comentou: ‘Não seria engraçado se a criança tivesse cabelo afro ruivo”, escreveu o autor. O especialista em dinastia Windsor destacou que um dos motivos para os duques de Sussex renunciarem aos papéis na monarquia foi por conta da esposa de Charles.

O príncipe Harry é o filho caçula do rei Charles III, marido de Camilla Parker. Eles viveram um caso extraconjugal. Antes de se casar com a rainha consorte, o atual monarca teve um matrimônio com a princesa Diana, do qual tiveram dois filhos, Harry e William. Fontes enfatizaram que o duque de Sussex “não era fã” da madrasta por sempre lembrar dos comentários de traição feitos pela falecida mãe. Lady Di morreu em um acidente de carro em 1997.