in

Defesa de policial acusada de furtar chocolates afirma: “imaginou que fosse lembrança de natal”

A policial estava no primeiro dia de trabalho no departamento após retorno por afastamento

A defesa da policial Flávia Soares de Oliveira, emitiu nota em relação a acusação furto de chocolates de dentro de uma Delegacia da Polícia Civil de Curitiba, nesta última quarta-feira (21).

Foto: Divulgação

A nota afirma que a policial não incorreu na prática de crime e que a subtração de seis pães de mel (com valor estimado em R$ 30,00) pertencentes à duas colegas policiais, é medida excessiva, desproporcional e desarrazoada.

A acusada pegou os pães de mel, por imaginar que fossem lembranças de Natal que seriam ofertadas aos funcionários da repartição pública em questão e ao ter ciência de que os chocolates pertenciam a suas colegas de trabalho, imediatamente se prontificou a restituir o valor correspondente ao preço dos pães de mel, ou seja, R$ 30,00.

Uma policial, que estava em seu primeiro dia de trabalho no departamento após retorno por afastamento, acabou presa depois de confessar que tinha pego os chocolates das colegas, é que afirma à Banda B, o advogado Dr. João Leopoldo Siqueira.

“A conduta assumida por ela não é conduto criminosa, não constitui crime, porque não houve em nenhum momento intenção em subtrair o chocolate. Ela imaginou que fosse lembranças de natal e quando ela foi esclarecida que os chocolates pertenciam as suas colegas de trabalho a policial imediatamente se propôs a restituir o valor de 30 reais que correspondiam ao preço desses pães de mel. Entendemos que houve excesso.” – afirmou do advogado de defesa

Sobre o furto

A situação aconteceu por volta de meio-dia da última quarta-feira (21), em uma unidade do Departamento da Polícia Civil, que fica na Avenida Iguaçu, no Rebouças, em Curitiba. Os chocolates foram entregues como encomendas de duas policiais civis e teriam sido deixados nas mesas de cada uma delas.

Por volta das 14h, as policiais perceberam que faltava um kit, com três chocolates, em cada sacola. Pensando que poderia ter havido um erro por parte da empresa que mandou, as policiais questionaram e foram informadas de que os kits saíram para a entrega completos.

Foi quando soube que poderia ter havido um furto, que uma das policiais percebeu que, por volta de 12h30, a policial que havia retornado naquele dia estava com uma sacola em cima da mesa. Ao verificar a sacola dessa policial, a mulher confirmou que ela estava com os dois kits que tinham sumido.