in ,

Danilo Gentili e Fábio Porchat são acusados de pedofilia por causa de filme de 2017

Cena do longa ‘Como ser o pior aluno da escola’, que acaba de entrar na Netflix, causou polêmica

Os nomes de Danilo Gentili e Fábio Porchat figuraram entre os assuntos mais comentados do Brasil no Twitter neste domingo (13). O motivo?

Os humoristas estão sendo acusados de ter feito apologia à pedofilia em uma cena do filme ‘Como ser o pior aluno da escola’, lançado em 2017 e que acaba de entrar para o catálogo da Netflix.

O longa é baseado em um livro do próprio Danilo Gentili e, na época, foi bastante aplaudido por muita gente.

Agora, uma cena específica do filme viralizou nas rede sociais e vem sendo muito criticada – principalmente por pessoas envolvidas com o atual governo de Jair Bolsonaro.

O que os internautas de boa memória lembraram, no entanto, é irônico: na ocasião do lançamento, Gentili era um dos mais ferrenhos apoiadores da candidatura do político. Naquela época, o filme foi amplamente elogiado e bem recebido.

No filme, Fabio Porchat interpreta Cristiano, um homem com sérios desvios sexuais que é dono do caderno que o ex-colega (interpretado por Danilo Gentili) roubou na escola para escrever o guia de “pior aluno” que depois foi encontrado pelos protagonistas Pedro (Daniel Pimentel) e Bernardo (Bruno Munhoz).

A cena que causou toda a polêmica mostra o personagem de Porchat propondo para os dois adolescentes que eles o masturbem: “vocês batem uma p*nheta pro tio”.

O filme mostra indiretamente Porchat pegando a mão da criança e colocando em seu órgão genital.

Veja a cena no vídeo abaixo:

Diante da polêmica, o deputado estadual André Fernandes (Republicanos-CE) informou através das redes sociais que entrou na Justiça para que as providências cabíveis sejam tomadas.

“Assim que tomei conhecimento de detalhes asquerosos do filme ‘Como se tornar o pior aluno da escola’, atualmente em exibição pela Netflix Brasil, determinei imediatamente que os vários setores do Ministério da Justiça adotem as providências cabíveis para o caso“.

Confira:

O vereador de Niterói, Douglas Gomes (PTC-RJ), compartilhou o vídeo da cena polêmica e também se posicionou contra os humoristas Danilo Gentili e Fábio Porchat, acusando-os de produzirem uma cena explícita de pedofilia. 

Veja o tuite do vereador:

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) também se pronunciou sobre a polêmica:

“O repugnante filme ‘Como se Tornar o Pior Aluno da Escola’ naturaliza a pedofilia a fim de normalizá-la. Já informei ao Ministério da Família ao qual oficiarei, assim como denunciarei ao MP e solicitarei informações ao CNMP acerca dos procedimentos em curso”, disse.

Diante de toda a repercussão, alguns internautas apontaram para o fato curioso de os políticos favoráveis a Bolsonaro não terem se posicionado contra o filme quando ele foi lançado, em 2017, momento em que Danilo Gentili dizia abertamente ser apoiador de Bolsonaro.

Alguns até aplaudiram o longa, como foi o caso do pastor Marcos Feliciano, que parabenizou Gentili na época dizendo que “há tempos não ria tanto”

Veja:

Post - Feliciano

Danilo Gentili comenta com ironia

Agora que Danilo Gentili virou a casaca e sempre publica críticas ao presidente, muitos políticos decidiram se posicionar contra o filme e acusar o humorista de incitar a pedofilia.

O próprio Danilo Gentili se pronunciou sobre o caso. Ele afirmou ter ficado feliz em conseguir desagradar tanto petistas quanto bolsonaristas.

“O maior orgulho que tenho na minha carreira é que consegui desagradar com a mesma intensidade tanto petista quanto bolsonarista. Os chiliques, o falso moralismo e o patrulhamento vieram fortes contra mim dos dois lados. Nenhum comediante desagradou tanto quanto eu. Sigo rindo”, tuitou ele.