in

GRRGRR

Com salários atrasados, afiliada da Band paga funcionários com linguiça e ovos

Funcionários da TV Tribuna, afiliada da Band no Recife (PE), estão acusando a emissora de não pagar os salários em dia. De acordo com informações divulgadas nesta sexta-feira (12), os colaboradores do canal de televisão local alegam que a empresa só repassou parte dos vencimentos de setembro com um kit composto por duas cartelas de ovos, linguiça, uma ave e um espetinho. Os alimentos teriam sido doados por uma empresa por meio de permuta, que consiste na troca de serviços entre as partes sem transação financeira.

Segundo o site NaTelinha, a falta de pagamentos dos salários dos funcionários se deve à informação de que as contas do grupo de comunicação que controla a TV Tribuna teriam sido bloqueadas pela Justiça para o pagamento de processos e dívidas com os credores da emissora. No entanto, enquanto os colaboradores passam por dificuldades, uma das propriedades do canal de televisão continua fazendo publicações nas redes sociais ouvindo música e bebendo com amigos.

Em meio às denúncias de atraso de salários, a TV Tribuna tem enfrentado também o fim de diversos programas. O jornalístico Cardinot na Tribuna, apresentado por Joslei Cardinot, saiu do ar poucos meses após a estreia. “Amigos, apenas dando uma pausa pra estrear novos Projetos na TV Tribuna/Band. Tá só começando!”, escreveu o comunicador em uma rede social. De acordo com a jornalista Jéssica Alexandrino, do NaTelinha, a suspeita é de que Cardinot tenha feito um acordo para comprar parte da programação da TV Tribuna para exibir seu programa de forma independente.

Em abril, funcionários da afiliada da Band denunciaram que estavam sem receber salário desde fevereiro. Os profissionais pediram socorro ao Sinjope (Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Pernambuco), que denunciou o canal ao MPT (Ministério Público do Trabalho) e à Band, em São Paulo. Os colaboradores ameaçaram paralisar os trabalhos caso não fossem realizados os pagamentos.

“Nossos chefes estão sem falar com a gente, deixando de seguir em rede social, levando a coisa para o lado pessoal e para a mágoa. São três meses sem salário, com R$ 500 pingando a cada 15 dias. É bem frustrante. Trabalhamos normalmente. Ninguém parou. As contas atrasam e o nosso psicológico está muito afetado”, desabafou na época uma funcionária da TV Tribuna ao jornalista Paulo Pacheco, do Observatório da TV.