in

Ciro Gomes suspende sua candidatura à Presidência após PDT apoiar PEC proposta por Bolsonaro

SÃO PAULO – Ciro Gomes, vice-presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT), anunciou que sua candidatura à Presidência está suspensa após o seu partido ter apoiado a PEC dos Precatórios, que foi aprovada em primeiro turno pelo plenário da Câmara na madrugada desta quinta-feira (4).

A PEC vai permitir que o governo postergue o pagamento de precatórios que estão prestes a vencer e abre espaço para R$ 91,6 bilhões no orçamento de 2022. A medida ainda precisa ser aprovada em segundo turno antes de ir para o Senado.

Há momentos em que a vida nos traz surpresas fortemente negativas e nos cola graves desafios. É o que sinto neste momento. É o que sinto, neste momento, ao deparar-me com a decisão de parte substantiva da bancada do PDT de apoiar a famigerada PEC dos Precatórios”, disse Ciro Gomes.

E continuou: “a mim só me resta um caminho: deixar a minha pré-candidatura em suspenso até que a bancada do meu partido reavalie sua posição. Temos um instrumento definitivo nas mãos, que é a votação em segundo turno, para reverter a decisão e voltarmos ao rumo certo.”.

Durante a votação desta madrugada, dos 24 deputados do PDT, 15 votaram a favor da PEC, o que represente 63% da bancada do partido. O placar final foi de 312 votos a 144, em favor da PEC.

Caso seja aprovada em definitivo, após o segundo turno e também no Senado, a PEC vai possibilitar que o governo Bolsonaro (sem partido) pague o programa de transferência de renda Auxílio Brasil no valor de R$ 400, substituindo o Bolsa Família.

Vale lembrar que os precatórios são títulos de dívidas que o governo tem que pagar a pessoas físicas e empresas por conta de decisões judiciais definitivas. O Orçamento de 2021 prevê o pagamento de R$ 54,7 bilhões em Precatórios, e o de 2022, sem a aprovação da PEC, de R$ 89 bilhões