in

Batman | Matt Reeves confirma papel de Barry Keoghan no filme, e revela que cena extra do personagem será divulgada no futuro

Atenção: Possíveis SPOILERS de “Batman” abaixo.

Em uma entrevista para o IGN, o diretor Matt Reeves (Planeta dos Macacos: A Guerra, Cloverfield: O Monstro) confirmou que o ator Barry Keoghan (Eternos, O Sacrifício do Cervo Sagrado) está de fato interpretando o Coringa em “Batman“, aguardado longa da DC sobre o homem-morcego, e explicou

“O interessante é que a razão pela qual o Coringa está no filme é que na verdade havia outra cena anterior. E para mim, acho que [é] essa ideia de que o Coringa ainda não é o Coringa, mas eles já têm esse relacionamento.”

Na cena deletada planejada para lançamento em casa, Batman (Robert Pattinson) entrevista o proto-Coringa de Keoghan para traçar o perfil do Charada. No filme, Edward Nashton (Paul Dano), é um enigmático serial killer que deixa um rastro de pistas e mensagens enigmáticas endereçadas ao detetive do Cavaleiro das Trevas.

“É uma cena em que Batman está tão nervoso porque o Charada está escrevendo para ele. E ele fica tipo, ‘Bem, por que esse cara está escrevendo para mim?’ E ele acha que precisa traçar o perfil desse assassino. Ele vai ver outro assassino com o qual claramente teve uma experiência nesses dois primeiros anos. E esse assassino nesta história ainda não é o personagem que conhecemos, certo? em sua infância. Então, nos quadrinhos, esses personagens geralmente declaram seus alter egos em resposta ao fato de que há um Batman por aí. E aqui, temos um Coringa que ainda não é o Coringa.”

A versão de Reeves do Coringa é uma homenagem a Gwynplaine de Conrad Veidt em “O Homem que Ri, o filme mudo de 1928 que influenciou o personagem dos quadrinhos:

“Na cena que você verá no futuro, verá que trabalhamos na aparência dele. E ele é mantido dessa maneira muito suspense, longe de você visualmente. Mas eu queria criar uma iteração dele que parecia distinto e novo, mas voltou às raízes. Então ele está muito fora do molde de Conrad Veidt e daquela ideia do filme mudo de O Homem que Ri.”

Reeves explicou que a maioria das versões do personagem retrata o Coringa como um criminoso que cai em um tanque de produtos químicos, dando-lhe sua aparência de palhaço. The Batverse re-imagina o Coringa de Keoghan como uma versão mais fundamentada – e mais trágica – que sofre de uma doença congênita:

“Ele nunca para de sorrir. E isso fez com que Mike Marino (designer de maquiagem protética) e eu pensemos – eu estava falando sobre O Homem Elefante porque eu amo David Lynch. E eu fiquei tipo, ‘Bem, talvez haja algo aqui onde não é algo em que ele caiu em um tanque de produtos químicos ou não é a coisa de [Christopher] Nolan onde ele tem essas cicatrizes e não sabemos de onde elas vieram. E se isso for algo pelo qual ele foi tocado desde o nascimento e que ele tem uma doença congênita que se recusa a deixá-lo parar de sorrir? E ele teve essa reação muito sombria a isso, e ele teve que passar uma vida inteira olhando para ele de uma certa maneira e ele sabe como entrar na sua cabeça’. Então é essa ideia de ele ser muito incisivo e brilhante e ser capaz de entrar em sua mente e basicamente ter esse ponto de vista niilista que é como desde o início, desde o nascimento, a vida tem sido uma piada cruel E esta é a resposta dele, e ele eventualmente vai se declarar um palhaço, se declarar o Coringa. Essa era a ideia.”

Reeves descreveu a participação sombria de Keoghan como “um Coringa pré-Coringa”, acrescentando que a cena não é necessariamente um gancho para um Coringa totalmente realizado ser o vilão de um segundo filme:

“Esse é apenas um exemplo de como os problemas em Gotham nunca vão diminuir. Sempre haverá alguém com um plano em andamento. Então a cena não deveria estar lá para dizer, ‘Ah, aqui está um easter egg. O próximo filme é X.’ Não sei se o Coringa estaria no próximo filme, mas posso dizer que aqui está o que você está vendo, é uma versão inicial desse personagem, e problemas, como sempre, estão se formando em Gotham.”

Leia também o nosso texto falando sobre todos os personagens do filme aqui.

Dois anos nas ruas como o Batman (Robert Pattinson), causando medo nos corações dos criminosos, levou Bruce Wayne para as sombras de Gotham. Com apenas alguns aliados de confiança – Alfred (Andy Serkis) e o tenente Gordon (Jeffrey Wright) – entre a rede corrupta de figuras importantes e funcionários, o vigilante se tornou a personificação da vingança na cidade. Quando um assassino atinge a elite de Gotham com intenções sádicas e pistas enigmáticas, O Maior Detetive do Mundo é enviado nessa investigação onde ele encontra personagens como Selina Kyle – também conhecida como Mulher-Gato (Zoë Kravitz), Oswald  Cobblepot – também conhecido como O Pinguim (Colin Farrell), Carmine Falcone (John Turturro) e Edward Nashton – também conhecido como Charada (Paul Dano). À medida que as evidências começam a chegar mais perto de casa e a escala dos planos do criminoso se torna clara, Batman deve forjar novos relacionamentos, desmascarar o culpado e trazer justiça à corrupção que há muito tempo atormenta Gotham City.

“Batman” conta com a direção de Matt Reeves (Planeta dos Macacos: A Guerra, Cloverfield: O Monstro), e com Robert Pattinson (O Farol, Bom Comportamento) como Batman, Zoe Kravitz (Mad Max: Estrada da Fúria, Big Little Lies) como Mulher-Gato, Paul Dano (Sangue Negro, Pequena Miss Sunchine) como Charada, Jeffrey Wright (Westworld, Shaft) como Comissário Gordon, Andy Serkis (Pantera Negra, O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei) como Alfred Pennyworth, Colin Farrell (O Lagosta, Na Mira do Chefe) como Pinguim e outros nomes no elenco. O filme está atualmente sendo exibido nos cinemas, você pode ler a nossa crítica SEM SPOILERS clicando aqui.