in

A Casa do Dragão | Atriz justifica decisão de Rhaenys no fim do episódio 9

Conforme visto no final do episódio 9 de A Casa do Dragão, Rhaenys teve a chance de matar todos os Verdes, pronunciando um simples Dracarys para Meleys, mas preferiu poupar a vida deles, e fugir para avisar a Rhaenyra sobre a coroação de Aegon II.

Alguns fãs ficaram irritados, apontando uma incorrência de roteiro, pois acreditavam que a “Rainha que nunca foi” poderia acabar a Dança dos Dragões antes mesmo de ela começar.

Falando com a EW, a intérprete da personagem, Eve Best, se justificou, dizendo que naquele momento, Rhaenys mostrou que seria a melhor Rainha possível, ao exercer uma ação piedosa e estratégica ao mesmo tempo.

“Aquilo é seu auge. É o momento em que ela se mostra a maior governante possível. Foi a ação mais ultrajante e explosiva da temporada. De certa forma, é também um ato muito misericordioso e gracioso. É porque ela é muito inteligente, e no final escolhe fazer a coisa certa, que é não destruir. É um momento realmente indulgente e um momento amoroso, de uma forma estranha. Ela tem toda a munição, e seu desejo de vingança é muito grande. Ela sofreu muita perda, e para seu próprio bem e em nome de tantos outros, a vontade de destruir é muito forte. E ainda assim a escolha de não destruir torna-se ainda mais forte. Essa é a marca da grandeza e um momento verdadeiramente inspirador. Eu comparo com o contexto do que estamos passando agora em nosso mundo, com tudo o que está acontecendo com a Rússia. A escolha de não soltar as bombas é a escolha maior.” – Disse Best.

O roteiro e produção de A Casa do Dragão ficaram sob responsabilidade de George R.R. Martin e Ryan Condal.

Paddy Considine (Blitz) como Rei Viserys Targaryen, Matt Smith (Doctor Who) como Príncipe Daemon Targaryen, Emma D’Arcy (Truth Seekers) como Princesa Rhaenyra Targaryen e Olivia Cooke (Jogador Nº 1) como Alicent Hightower estão no elenco principal.

Baseada no livro Fogo & Sangue, a série serve como um derivado de Game of Thrones que narra a história da guerra civil gerada pela disputa do Trono de Ferro, mais conhecida como a Dança dos Dragões.

Situada mais de 200 anos antes dos eventos da série original, acompanhamos a guerra civil que acontece enquanto os meio-irmãos Aegon II e Rhaenyra almejam o trono após a morte do pai, Viserys I.

Rhaenyra é a filha mais velha, contudo, Aegon é o filho homem de um segundo casamento, o que acaba gerando uma crescente tensão entre dois clãs Targaryen sobre quem tem o verdadeiro direito ao trono.

Como descrito na série principal, no tempo em que a família Targaryen dominava os sete reinos, a casa era conhecida por seus imponentes dragões, que assim como a família, acabaram praticamente extintos após o conflito interno.